Curitiba, 30 de Maio de 2020


 

Caro leitor,

 

Na última lição (se você perdeu clique aqui), nós debatemos que a principal fonte de decisão do voto é o próprio umbigo.

 

Nós esquecemos isso frequentemente. Ninguém vai te emprestar atenção só porque você fala coisas bonitas e interessantes. Ainda mais se repete jargões e faz o que todo mundo faz.

 

Dar uma volta por aí e postar na internet.

Lives de você (desconhecido), com outro desconhecido…

 

Não sei não.

O leitor que tire suas conclusões.

 

Eu estou aqui para trazer uma opção viável. Um projeto viável que acelere a sua campanha política; e ela vai na contramão do que as pessoas costumam fazer.

 

Vamos direto a elas!

Preparado para tirar suas conclusões?

 

Estou exclusivamente aqui tratando de você ser ouvido. Não existe coisa mais frustrante do que você falar, falar e ninguém ouvir.

 

E acredite, ninguém está nem aí pra você.

Por que deveriam?

 

Aqui começam as perguntas certas…

 

Pense comigo. Se por exemplo eu, um desconhecido, chegar e começar a falar o que eu defendo, o que eu luto, quais são minhas causas, o que eu quero fazer pela cidade, etc.

 

O que eu vou ganhar?

Alguns likes, alguns comentários de apoio talvez.

 

“É isso aí”

“Parabéns pela atitude”

 

Tapinha nas costas. Quando eu for ver o resultado das eleições.

Uma decepção. Nem 400 votos.

 

Acredite. Já vi isso DE PERTO. Em 2018.

 

Frustração total por parte do candidato.

Nem os que deram tapinha nas costas votaram.

 

É óbvio! Mas a gente se inebria em uma névoa de elogios e não percebe o fracasso chegando a galope.

 

Ninguém se importa com você. Se importam com eles.

Você só receberá voto se parecer ter condições de ganhar uma eleição.

 

Essa é a regra que ainda vale. Pouca gente votará em você sem achar minimamente que pode ganhar uma eleição (a não ser seus familiares e olhe lá, já que o voto é secreto).

 

Tem-se toda uma estratégia pra isso.

 

Por quê? Pois porque irei jogar meu voto fora se tenho interesses próprios? Quero que alguém seja eleito e que eu possa usufruir disso no futuro, ora pois.

 

Como Ser Ouvido

 

Você precisa entregar um benefício real e imediato, onde o cidadão/eleitor, independentemente da sua pessoa, irá emprestar seu prestígio próprio para ter um benefício pessoal naquele momento.

 

Exemplo? Esta série de lições aqui mesmo!

 

Você está aqui por mim? Por que me conhece e admira o meu trabalho?

Acho que não…

 

Você está aqui APESAR de ser eu a pessoa a conversar com você.

 

Se fosse alguém que já tivesse simpatia e admiração, certamente iria atrás dessa pessoa.

 

Só que elas não oferecem o que eu estou oferecendo aqui.

Eu estou indo direto na sua dor e te trazendo o remédio.

 

Você quer ser eleito. Esse ano. É inquestionável!

Você quer estar seguro das suas decisões, saber o que está fazendo, sentir uma chance real, um progresso real na sua campanha.

 

Quer ter mais certezas, menos dores. Mais progresso, menos trabalho. É isso.

 

VOCÊ ESTÁ AQUI POR CAUSA DE VOCÊ.

 

Eu estou conversando com você. E ao mesmo tempo que estou te ajudando uma coisa está acontecendo.

 

Estou introduzindo uma série de reflexões, que estão gerando questionamentos e conclusões/respostas próprias suas.

 

E se alguma coisa fizer sentido pra você, você vai ter o sentimento de “é isso!”. “Realmente, faz sentido”.

 

E a próxima pergunta será: “Tá, mas e agora? O que eu faço?”

 

E eu estou te trazendo aqui. Você vai colocar em prática minimamente e vai sentir a diferença. Vai confirmar o que estou te falando.

 

Aí de repente a mágica acontece. Você começa a olhar pra mim com outros olhos.

 

“Esse é um rapaz inteligente, sabe o que está falando. Talvez ele mereça ascender, ganhar mais destaque. Gosto dele. Vai de acordo com o que eu acredito também. E claro, posso ganhar muito com ele. Sair na frente, me diferenciar, conquistar o que eu quero que é a eleição.”

 

Opa, peraí se esse não é realmente o sentimento que você precisa gerar no seu eleitor!

 

Lembra? Objetivos de análise do eleitor:

 

  1. Inteligente e/ou humilde;

  2. Alinhado com minhas vontades (ideologia, forma de ver o mundo, religião);

  3. Um contato quente que poderá me ajudar a resolver meus problemas.

 

Eu atraí, estou engajando com você, abro a possibilidade de conversão. Jogo limpo. Psicologia humana pura.

 

Você pode chegar nessas conclusões meramente com a sua intuição ou um pouco de reflexão pessoal.

 

Não é uma ciência de foguetes…

 

Eu acho que está fazendo sentido pra você. Porque pra mim faz BASTANTE sentido.

 

Quer dizer que dá pra copiar estratégias de mercado para minha campanha política?

 

Não é isso. É porque estamos falando de psicologia humana. Uma boa estratégia de mercado envolve o consumidor com estímulos psicológicos. Aí a “coincidência”.

 

Espero que você tenha entendido que PARA SER OUVIDO você precisa entregar ou prometer um ganho imediato.

 

Perceba, prometer mas um ganho imediato.

 

Assim como eu fiz nessa postagem:

Por sinal, nesse caso foi só uma promessa do que eu entregaria em poucos dias.

 

Isso dá a oportunidade de eu mostrar inteligência, mostra que sou honesto por jogar limpo contigo, você avalia se faz sentido e se nossos valores batem e ainda enxerga a possibilidade de vantagens pessoais.

 

O voto ou a contratação hipotética do meu serviço é mero detalhe a partir de agora.

E por sinal, no final dessa série de lições, eu farei uma oferta; àqueles que desejam realmente ser eleitos e querem ainda esse ano.

 

Mas por enquanto: como você também pode fazer isso?

 

Diga-me se dicas de Instagram conseguem preencher esses requisitos? Acho que não. Só daria certo se você fosse um dos poucos mas todo mundo faz isso. E todo mundo fala de si mesmo e suas convicções.

 

Então aqui vai. Preste muita atenção no que eu vou te falar agora.

  • Instagram

Perceba que eu tenho usado o Instagram nesse sentido. De todas as técnicas, das mais comuns às mais ousadas, funciona melhor aquilo que acalenta o coração da outra pessoa do outro lado da tela que é: a si mesmo.

 

Preocupação com elas mesmas; eu vou bater nesse ponto porque parece que as pessoas esqueceram disso. Nós pensamos em nós mesmos, mesmo quando pensamos nos outros.

 

E tudo bem.

 

Agora chegou a parte de anotar:


O INSTAGRAM É MEIO E NÃO FIM

 

O que eu quero dizer com isso. Quando eu faço uma chamada dessa por exemplo, eu estou usando não a mim ou minha credibilidade mas de um assunto EXTREMAMENTE desejado de ser respondido por parte dos candidatos.

 

Eu conheço a realidade, principalmente daqueles que não têm histórico eleitoral.

 

E impressionantemente nenhum dos consultores que eu conheço no Insta acabam fazendo isso. Mesmo se fizessem, poderíamos ter abordagens diferentes e sermos complementares.

 

Aqui vai a próxima regra.

 

ACHE O SEU NICHO.

 

Ache a sua brecha. Você não precisa ser dono de uma pauta sozinho; você precisa ser reconhecido por uma brecha que as outras pessoas deixaram.

 

De preferência, uma brecha onde você não precise educar as pessoas, porque essa é a forma mais dura de se conquistar um voto.

 

Educar significa expor, convencer. Muito trabalhoso. No exemplo acima eu simplesmente falo com as pessoas que já sabem que ser ouvido é importante. Que sabem que precisam acelerar a sua campanha.

 

Elas já têm uma base de conhecimento.

 

Eu preciso trazer os estímulos necessários dentro do nicho que eu encontrei e trabalho (aceleração de campanha, que escala a campanha de rua através das mídias sociais). E só.

 

O resto se faz no material mais denso. Não dá pra compartilhar isso no Instagram, mesmo com textos longos.

 

Desça meu feed e você vai ver alguns exemplos. Conversão quase zero. Muito likes e até seguidores mas pouca retenção. Pouca atenção.

 

Use o Instagram como meio e ajude às pessoas imediatamente, levando elas para outro ambiente.

 

Não sejamos preguiçosos nesse sentido. Aqui vale à pena colocar todo nosso esforço.

 

Sejamos vereadores e prefeitos antes de sê-lo. Aqui está a sacada!

 

Aí sim, você entrega, você ensina, você ajuda (cuidado com os limites eleitorais), e então você conquista a atenção, a admiração e pode falar de coisas mais precisas, de propostas, de pautas de uma forma mais “comercial”, digo “político-tradicional”.

 

Vou te dar um exemplo muito claro para fechar essa lição de número dois.

 

Ex:

Você é do município X. Você acompanha as notícias, está por dentro do que está acontecendo. Você é mais ligado ao bairro Y. Você mora nesse bairro.

 

A PRIMEIRA COISA QUE VOCÊ DEVERIA FAZER É:

(Eu não acredito que estou abrindo isso)

 

Lançar uma enquete com o seguinte título:

Quais são os problemas do bairro Y?

 

Liste eles. Alcance o maior número de pessoas. Você pode fazer isso facilmente com R$50 e uma campanha de anúncio no Facebook e no Instagram especificamente para essa região.

 

Você vai ter um balanço bem honesto.

 

Todo mundo gosta de descer o pau e reclamar.

Aí o que que você faz? Você se “apropria” dessa pauta que você mesmo gerou de benefício imediato e se torna o “dono” do bairro.

 

Tudo com aspas porque é no sentido positivo.

 

Agora você tem uma BAITA arma em mãos. Praticamente você desenha sua linha editorial a partir disso. Já imaginou?

 

Essa técnica é impressionante e eu uso com todos os meus mentorados. É a campanha número 1!

 

Aí você pode andar pelo bairro, mostrar os problemas, as ruas esburacadas, mostrar sua proximidade e relação com aquela região.

 

Uau! Eu tenho muita coisa pra falar de ações até o dia da eleição que você deveria fazer; mas isso daria um livro.

 

Por final, você pega essas requisições e apresenta na câmara de vereadores e se torna o representante daquele bairro.

 

É isso que um vereador faz. É assim que você serve às pessoas de forma imediata.

O voto. A cadeira; é só consequência desse trabalho.

 

Para prefeitos é a mesma coisa só que em uma escala maior. Ele precisa abraçar a cidade.

 

Se você é de uma cidade pequena, a lógica é a mesma, você só aumenta a sua atuação da região.

 

Espero que você faça bom proveito dessas informações. Na próxima e última lição nós falaremos porque você deve conquistar votos todos os dias, mesmo na pré-campanha e não deixar pra última hora.

 

Vou falar um pouco de como você se estrutura e começa do jeito certo.

Forte abraço e até lá.